EMMOU7

Especialista ensina como agregar valor ao seu negócio

Saiba como transformar seus clientes em embaixadores da sua marca

 

Criar conceito, agregar valor ao seu produto e serviço, esse é o grande desejo de todo empreendedor. Mas o que fazer para não deixar sua marca cair no esquecimento? O Workshop “O Encantador de Clientes”, vai te ensinar como fazer com que seu cliente consuma seu produto e serviço vislumbrando valores que vão além do preço.  Evento acorrerá dia 27 de abril, às 18h, na Associação Comercial de Maceió.

A fidelização e o encantamento da Walt Disney World é o modelo de negócio mais cobiçado do mundo, é com os segredos desse modelo que o consultor Alexandre Espíndola, que atua nas áreas de marketing, estratégia empresarial e empreendedorismo, vai te orientar e fazer com que seu cliente vire o embaixador da sua marca.

“Vamos provocar o participantes a repensar as práticas implantadas em suas empresas. Ajudar na construção de um propósito, que possa dar sentido as pessoas que trabalham em sua empresa, discutindo não somente como se faz, mas porque se faz. Vamos juntos traçar um caminho dentro de uma cultura organizacional, tendo como base as organizações Disney”, destacou O consultor.   

Serviço
O que: Workshop O Encantador de Clientes
Quando: 27 de Abril das 18h ás 22h30
Onde: Associação Comercial de Maceió – Rua Sá e Albuquerque – Jaraguá
Inscrições: disney@projectteam.com.br
Investimento: R$ 160,00 – Depósito Bancário
Contatos: 82 996160951 (Tim)/ 99999-0378 (Tim)/98837-8997 (Oi)

Patrocínio: CPLA

Apoio: Associação Comercial de Maceió

EMMOU7Especialista ensina como agregar valor ao seu negócio
read more

Banco do Nordeste lança edital para seleção de projetos culturais

Maceió, 31 de março de 2016 –O Banco do Nordeste acaba de lançar edital de seleção para projetos culturais a serem realizados em sua área de atuação (Nordeste e norte de Minas Gerais e Espírito Santo) e nos centros culturais de Fortaleza; Cariri, em Juazeiro do Norte, no sul do Ceará; e Sousa, no alto sertão paraibano, no exercício dos anos de 2016, 2017 e 2018.

A cerimônia de lançamento foi realizada nesta quarta-feira, 30, no Centro Cultural Banco do Nordeste – Fortaleza.

A inscrição de projetos podeser feita até 6 de maio de 2016 pelo sitewww.bancodonordeste.gov.br. Os valores de patrocínio podem chegar até R$ 100 mil por projeto, recursos oriundos de incentivos previstos na Lei Federal de Incentivo à Cultura, denominada Lei Rouanet (nº 8313/1991).

Os projetos serão avaliados por comissão interna do Banco do Nordeste, composta por técnicos dos centros culturais e dos ambientes de Marketing e de Comunicação. Os resultados serão homologados pelo comitê de patrocínios do Banco do Nordeste e da Secretaria de Comunicação da Presidência da República (Secom/PR).

O período de análise e seleção ocorre de 9 de maio a 3 de junho de 2016. A divulgação acontecerá até 10 de junho, também no portal do Banco do Nordeste.

Critérios de Seleção

Os critérios de seleção dos projetos incluem, independente da linguagem artística adotada: concepção geral do projeto; currículo dos integrantes; quantidade de apresentações por centro cultural; circulação nos centros culturais; atividades didáticas paralelas (cursos e oficinas); adequação aos espaços dos centros culturais; contrapartidas; adequação do orçamento.

Para efeitos de inscrição, o edital trabalha com os seguintes segmentos artísticos (com base no artigo 18, da Lei Rouanet): a) artes cênicas; b) livros de valor artístico, literário ou humanístico; c) música erudita ou instrumental, d) exposições de artes plásticas; e) doações de acervos para bibliotecas públicas, museus, arquivos públicos e cinematecas, bem como treinamento de pessoal e aquisição de equipamentos para a manutenção desses acervos, f) produção de obras cinematográficas e videofonográficas de curta e média metragem e preservação e difusão do acervo audiovisual; g) preservação do patrimônio cultural material e imaterial; e h) construção e manutenção de salas de cinema e teatro, que poderão funcionar também como centros culturais comunitários, em Municípios com menos de 100 mil habitantes.

O prazo de vigência do edital é de dois anos a partir da data de publicação.

 

IMPRENSA – Banco do Nordeste

(85) 3299-3149 / 3299-3323
Twitter: @imprensaBNB
Facebook: /imprensabnb

EMMOU7Banco do Nordeste lança edital para seleção de projetos culturais
read more

Maceió recebe Workshop ‘O encantador de clientes’

Treinamento é baseado no modelo de negócios Disney

 

Ter um bom produto para oferecer não é mais o suficiente para conquistar um cliente. Seja na área do varejo, serviços ou atacado, o diferencial está no atendimento. Para quem busca esse diferencial, o consultor Alexandre Espíndola, estará em Maceió,  no dia 27 de Abril,  para ensinar como Encantar seus Clientes.

O Workshop, que ocorrerá no Auditório da Associação Comercial e Maceió, tratará debates sobre: comportamento do consumidor,  relacionamento com o mercado, atendimento ao consumidor e ao cidadão, fidelização, modelos de liderança e implantação de novos negócios.

De acordo com Alexandre Espíndola, professor universitário e consultor de negócios, a base para os debates é o modelo Walt Disney Company, que hoje é uma referência mundial de qualidade de serviços fidelização.

Rever as formas de se comportar e pensar é um dos desafios que será levantado pelo palestrante. “O objetivo é tirar as pessoas do estado de acomodação na vida pessoal e profissional. Temos que está em pleno crescimento e desenvolvimento para que sejamos reconhecidos profissionalmente e venhamos nos sentirmos realizados e felizes”, enalteceu Alexandre Espíndola.

Serviço
O que: Workshop O Encantador de Clientes
Quando: 27 de Abril das 18h ás 22h30
Onde: Associação Comercial de Maceió – Rua Sá e Albuquerque – Jaragua
Inscrições: disney@projectteam.com.br
Investimento: R$ 160,00
Contatos: 82 996160951 (Tim)/ 99999-0378 (Tim)/98837-8997 (Oi)

EMMOU7Maceió recebe Workshop ‘O encantador de clientes’
read more

Qualificar funcionários muda comportamento de empresas diante da crise

Alagoas, como os demais estados do país passa por uma redução no índice de investimento do empresário no comércio e serviço, segundo a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Alagoas (Fecomercio/AL). E como mudar esse cenário? Especialistas alertam que toda a crise é seletiva e o investimento em qualificação profissional pode fazer a diferença na recuperação dos desafios do mercado.

Técnicas como de abordagem ao cliente, investimentos em marketing digital, como ficar atento às oportunidades de mercado, essas e outras orientações estarão em debate durante do Workshop ‘A Magia de Encantar Clientes’, baseado no conceito das empresas Disney, que ocorrerá no próximo dia 27 de abril, na Associação Comercial de Maceió, ás 18h.

Para o consultor e especialista em Gestão Empresarial, Alexandre Espíndola, diante do cenário de retração da economia, tanto o empresário, quanto o trabalhador, devem redobrar a atenção. “Quando afirmamos que toda crise é seletiva, queremos dizer que quem estiver preparado continuará crescendo através das oportunidades que continuarão existindo. Quem não estiver, certamente ficará reclamando dela. Empresas e membros dela precisam encontrar seu diferencial competitivo, e fazer ainda melhor o que já faz muito bem”, avaliou.

 

Atualmente a característica apontada como essencial para manutenção no mercado de trabalho, principalmente na área de serviço, é o atendimento. “Atendimento foi, é, e será um grande diferencial competitivo. Diferenciação essa é a palavra de ordem.  No nosso evento vamos falar do encantamento do cliente, através de um atendimento extraordinário”, reforçou Espíndola.

Serviço
O que: Workshop O Encantador de Clientes
Quando: 27 de Abril das 18h ás 22h30
Onde: Associação Comercial de Maceió – Rua Sá e Albuquerque – Jaraguá
Inscrições: Stand Viva Alagoas – Maceió Shopping ou pelo email:disney@projectteam.com.br

Patrocínio: Cooperativa de Produção Leiteira de Alagoas

Apoio: Associação Comercial de Maceió
Contatos: 82 996160951 (Tim)/ 99999-0378 (Tim)/98837-8997 (Oi)

 

EMMOU7Qualificar funcionários muda comportamento de empresas diante da crise
read more

Edição 2015 do Prêmio de Direitos Humanos da República Francesa recebe inscrições

Organizações da sociedade civil são convidadas a candidatura para concorrer à edição de 2015 do Prêmio de Direitos Humanos Liberdade, Igualdade e Fraternidade da República Francesa , criado em 1998. O Prêmio dividirá 70 mil euros (mais de 280 mil reais) com os cinco vencedores.

Este ano, os dois temas do Prêmio são “os perigos da internet para os direitos humanos” e “o meio ambiente e os direitos humanos”, conforme observado pela ABCR.

O processo de envio de candidaturas pelas organizações é bastante simples, mas deve ser realizado em francês. O prazo é dia 24 de setembro.

EMMOU7Edição 2015 do Prêmio de Direitos Humanos da República Francesa recebe inscrições
read more

Agência de Fomento de Alagoas libera novo recurso para ampliação de laticínio no Sertão

O Laticínio Mont Rey, com sede no município sertanejo de Major Izidoro, acaba de ser beneficiado com a liberação de mais um recurso pela Agência de Fomento do Estado – Desenvolve. O novo aporte financeiro ajudará na ampliação da capacidade de refrigeração da unidade que passará a contar com três câmaras frigoríficas.

Para dezenas de produtores de leite da região que compreende, além de Major Izidoro, os municípios de Monteirópolis e Batalha, o recurso ajudará no fortalecimento da agricultura familiar, abrangendo todos os atores da cadeia produtiva do leite. O novo reforço financeiro é o sétimo avaliado e liberado pela Desenvolve para o empreendimento.

Os recursos que somam um total de R$ 1.010.000,00 são oriundos de uma linha de crédito específica para o Programa do Leite que serve como capital de giro com carência para pagamento de 45 dias. O laticínio está vinculado ao Programa Alagoas Mais Leite cujo objetivo é o conjunto de ações em favor dos pequenos produtores de leite que fornecem seu produto ao Estado. Este, por sua vez, o repassa a pessoas carentes. A ação fortalece a agricultura familiar e ainda ajuda a alimentar milhares de famílias em situação de vulnerabilidade.

A liberação de mais esse recurso pela Desenvolve, segundo o presidente da entidade, Antonio Pinaud, atende aos objetivos do programa estadual em sua maior premissa que é garantir aos pequenos produtores a viabilidade de seu negócio e sua sobrevivência no campo. “Somos parte desse processo que gera ocupação e renda para muitas famílias, por isso, se faz necessário estudar e pôr em prática ações que proporcionem autonomia e continuidade desses serviços”, destacou Pinaud.

– See more at: http://www.desenvolve-al.com.br/noticias/geral/295/2015/05/13/desenvolve-libera-novo-recurso-para-ampliaco-de-laticinio-no-serto#sthash.3DeuyPRK.dpuf

Fonte: Desenvolve Alagoas/ Eliete Amâncio

EMMOU7Agência de Fomento de Alagoas libera novo recurso para ampliação de laticínio no Sertão
read more

6º Congresso de Inovação da Indústria promove debate entre setores público e privado

“Certamente, devemos reunir esforços para disseminar a cultura e o fomento da inovação em todos os setores, e operar em toda a cadeia de geração do conhecimento que leva a esse caminho”, afirmou Luis Fernandes, presidente da Finep, durante o painel “Financiamento e Inovação”, no primeiro dia do Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria, no dia 13/5, em São Paulo. Segundo Fernandes, “mesmo numa posição desfavorável na atual corrida veloz mundial pela inovação, o Brasil pode escolher um caminho de repensar sua política industrial com uma governança mais eficaz e efetiva, além de promover uma melhor articulação dos setores público e privado”, disse.

O evento, organizado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e Sebrae, reúne especialistas, empresários e representantes de ministérios e de agências de fomento do Governo, como Finep e BNDES, e vai até o dia 14/5. Na abertura do Congresso, o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Aldo Rebelo, disse que “não há fronteiras entre os interesses público e privado para se buscar a inovação, mas sim o interesse nacional como denominador comum”. Aldo também afirmou que o compromisso do MCTI “é recompor seu orçamento e os Fundos Setoriais, além de fortalecer iniciativas vitoriosas, como aEmbrapii”.

Robson Andrade, presidente da CNI, afirmou que a instituição tem mantido diálogo com o Governo, sugerindo iniciativas que visem melhorar a competitividade da indústria brasileira. Andrade lembrou que a Mobilização Empresarial pela Inovação (MEI) tem dado “uma contribuição fundamental nessa questão, lutando para que a inovação seja uma estratégia de desenvolvimento nas empresas, e não apenas uma agenda pontual”. O presidente do Sebrae, Luiz Barreto, disse que “há inúmeras oportunidades para a indústria, mesmo no atual momento de retração”.

Investimento público

No painel “Financiamento e Inovação”, Mariana Mazzucato, especialista em inovação, professora da Universidade de Sussex , Inglaterra, disse que a imagem caricatural de que o papel do investimento público na economia e inovação no mundo, que seria apenas “regulador e burocratizante”, não se sustenta. De acordo com ela, o Estado é um dos maiores investidores em inovação em países desenvolvidos, diferente da imagem que o senso comum tem, e que a “ação prática da inovação só aconteceria no setor privado”. “Nos EUA, agências públicas, como o Departamento de Defesa, a Nasa, Saúde e Energia, são responsáveis por imensos investimentos de risco, maiores do que qualquer empresa privada”, disse.

A professora diz que o mesmo ocorre em bancos e agências públicas e de investimento, como na China, Alemanha e Rússia, citando o BNDES e a Finep, no caso brasileiro. Mariana afirma que o Governo brasileiro, desde 2012, tem mostrado que é “possível investir e crescer sem deixar de lado a mitigação da pobreza, por exemplo”. Apesar do momento de esfriamento econômico no Brasil, ela considera “excessivas as críticas que se fazem a tudo que se refere ao Governo. A especialista finalizou sua fala dizendo que “há, sem dúvida, vários problemas a serem contornados no Brasil, mas que é importantíssimo que se compreenda a dimensão do Estado como empreendedor ativo, o que realmente é. Agora a hora é de reativar conversas com agendas positivas e pensar criativamente para realizar reformas no setor público”, afirmou.
Inovação e RH

No mesmo painel, o pesquisador do Center for Digital Business do Massachussetts Institute of Technology (MIT), Michael Schrage, disse que crédito e outras formas de incentivo à inovação dificilmente terão resultados sem um componente essencial: pessoas. “Se você se importa com inovação, precisa investir em capital humano. O futuro da inovação no Brasil será resultado dos investimentos que o País – governo e empresas – fizer em recursos humanos agora”, afirmou.

Sucesso empresarial

Representantes da MEI lançaram, durante o evento, um livro com 22 casos de sucesso de empreendedorismo no Brasil, além de um manifesto em que conclamam empresários e Governo para a urgência do fortalecimento da inovação, para dinamizar e impulsionar o desenvolvimento do País. No final do primeiro dia do Congresso, aconteceram painéis de discussão sobre Mobilidade Urbana e Tendências em áreas de ponta em ciência e tecnologia. Chamada CNI/Sebrae e Prêmio

A CNI e o Sebrae lançaram a primeira edição da Chamada Nacional de Projetos, que terá aporte de R$ 20,5 milhões. A iniciativa visa apoiar, técnica e financeiramente, micro e pequenas empresas industriais por meio de consultorias em gestão da inovação e gestão empresarial. Os projetos devem ser apresentados pelos Núcleos Estaduais de Inovação do Sistema Indústria, sediados nas Federações, SESI, SENAI e IEL, em parceria com as Unidades Federativas do Sebrae.

No final do dia, foi realizada a cerimônia do Prêmio Nacional de Inovação, pela CNI e Sebrae, com o apoio do Instituto Euvaldo Lodi (IEL), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), Movimento Brasil Competitivo (MBC), Finep – Inovação e Pesquisa – e Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI).

Fonte: http://www.finep.gov.br/imprensa/noticia.asp?noticia=6o-congresso-de-inovacao-da-industria-promove-debate-entre-setores-publico-e-privado

EMMOU76º Congresso de Inovação da Indústria promove debate entre setores público e privado
read more

Projeto social apoiado pelo BNDES na UHE de Estreito recebe prêmio de Apoio a Comunidades Locais

Com R$ 76,7 mi da linha Investimentos Sociais de Empresas, iniciativa em 8 cidades do TO e MA foi premiada pela Câmara de Comércio Brasil-França

A Câmara de Comércio Brasil-França premiou iniciativa apoiada pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) com recursos da linha Investimentos Sociais de Empresas (ISE) no entorno da hidrelétrica de Estreito, nos Estados do Maranhão e do Tocantins.

O financiamento ao consórcio formado pelos grupos Tractebel, Vale, Alcoa e Camargo Corrêa para instalação da UHE, no valor de R$ 3,3 bilhões, contou com subcrédito de R$ 76,7 milhões para investimento em iniciativas sociais no entorno do empreendimento.

Entre essas iniciativas, encontra-se o projeto Cerrado Doce, de fortalecimento à apicultura, que foi classificado em segundo lugar na categoria Apoio às Comunidades Locais do Prêmio LIF (Liberdade, Igualdade e Fraternidade).

Desenvolvido em parceria com a Associação de Produtores Rurais de Palmeirante (TO) e a Associação Bezerra de Morais, de Carolina (MA), o projeto contemplou a construção e montagem de dois postos de beneficiamento de mel, repasse de materiais e equipamentos para produção e coleta do produto, capacitação de apicultores e entrega de veículos para possibilitar o escoamento da produção.

Inaugurados no segundo semestre de 2013, os dois postos beneficiaram diretamente 49 famílias, com 68 apicultores capacitados e 17 toneladas de mel produzidas e comercializadas. A estrutura atende oito municípios do entorno da hidrelétrica.

O Cerrado Doce é a terceira iniciativa apoiada pela linha ISE no entorno da usina a receber o prêmio LIF. Os outros projetos contemplados foram o Crianças Saudáveis, Futuro Saudável, em 2012; e o Alfabetização de Jovens e Adultos, em 2013.

Linha ISE – A linha de financiamento Investimentos Sociais de Empresas (ISE) apoia com taxas favoráveis a implantação de projetos sociais no âmbito das empresas ou no seu entorno. Criada em 2006, apoia dois tipos de iniciativas: no âmbito da empresa — que tem como público-alvo os funcionários, suas famílias, fornecedores ou clientes — ou no âmbito da comunidade, beneficiando o entorno dos empreendimentos. As ações podem ser realizadas diretamente pelas empresas ou por meio de parcerias com ONGs, Oscips e instituições públicas.

O financiamento por meio da ISE pode ser para um projeto exclusivamente social ou ser incluído na forma de subcrédito em uma operação de apoio a um empreendimento econômico. Uma vez que o objetivo da Linha é elevar o grau de responsabilidade socioambiental das empresas, o apoio do BNDES não contempla itens que constituam meras obrigações legais. São financiáveis apenas ações que tragam um acréscimo a essas obrigações.

EMMOU7Projeto social apoiado pelo BNDES na UHE de Estreito recebe prêmio de Apoio a Comunidades Locais
read more

Projetos mal feitos comprometem aplicação de recursos para mobilidade

A falta de qualidade nos projetos para obras de mobilidade urbana é um dos grandes problemas que vêm sendo enfrentados na aplicação e recursos públicos destinados ao setor.

Estimativa da Secretaria Nacional de Transportes e Mobilidade Urbana, ligada ao Ministério das Cidades, aponta que, dos R$ 154 bilhões já disponibilizados pelo governo federal para construção de estruturas voltadas ao transporte de passageiros, cerca de R$ 10 bilhões estão congelados. Isso porque, com as falhas nos projetos, os trabalhos não podem ter continuidade e, em alguns casos, as questões vão parar na Justiça.

Foi o que ocorreu, por exemplo, com a implantação do VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) em Cuiabá (MT), que tem custo de mais de R$ 1,4 bilhão. A Justiça Federal determinou a suspensão do contrato entre o governo do estado e o consórcio responsável, até que o poder público apresente um diagnóstico dos processos de desapropriação de imóveis, necessários para implantação da linha. O problema tem sido apontado como uma das principais causas para o atraso nas obras, que deveriam ter sido encerradas para a Copa do Mundo de 2014.

“A necessidade que temos hoje é resgatar as etapas de planejamento e de projeto. A gente tem que dispender mais tempo nessas fases preliminares”, diz o secretário Nacional de Transportes e Mobilidade, Dario Rais Lopes. “É compreensível que, no afã de dar uma resposta mais rápida às manifestações de 2013, que cobraram transportes de mais qualidade, haja pressa na execução. Mas a consequência é que estamos em um lamentável processo de judicialização e a alocação de recursos públicos fica longe de ser concretizada”, explica.

O tema foi destacado em palestra voltada para gestores municipais durante o III EMDS (Encontro de Municípios com o Desenvolvimento Sustentável), realizado nos dias 8 e 9 de abril, em Brasília (DF).

Para ele, o momento de ajuste fiscal, que limita a liberação de verbas da União para prefeituras e estados, é o ideal para os governos locais voltarem as atenções para o planejamento e, depois, pleitearem novos recursos.

Governo estuda criação de fundo para estimular PPPs

Conforme o secretário, está em análise no Ministério das Cidades a criação de um fundo garantidor para ajudar prefeituras e estado a firmarem Parcerias Público-Privadas (PPPs) para obras de mobilidade. A existência desse fundo é um requisito para que investidores assumam projetos cujas tarifas não cobrem todo o custo operacional. Nesses casos, a diferença deve ser compensada com dinheiro público. “Como são projetos longos, de 20, 30 anos, as empresas têm que ter a garantia que essa verba estará disponível”.

No entanto, nem todas as cidades e estados têm condições financeiras de compor esse fundo. “Estamos fazendo um levantamento de todos os recebíveis, recursos que a União tem para receber, e que podem ser dados como garantia”. A ideia é priorizar projetos de transporte de passageiros de alta capacidade. Se for efetivado, o primeiro uso do fundo será para o metrô de Porto Alegre. A obra demandaria R$ 7,5 bilhões em recursos públicos para garantir a operação ao longo de 20 anos.

EMMOU7Projetos mal feitos comprometem aplicação de recursos para mobilidade
read more

Finep se destaca com apoio a projetos expostos na LAAD

Além de seu estande, a Finep está presente em diversos projetos expostos na LAAD Defence & Security 2015, que acontece até 17 de abril no Riocentro, Rio de Janeiro. Um dos destaques da feira é o T-Xc, avião de treinamento primário totalmente concebido em fibra de carbono – material muito mais leve e resistente que o alumínio aeronáutico. Imune à corrosão, o avião desenvolvido pela Novaer com financiamento de cerca de R$ 10 milhões da Finep deverá ser utilizado pelos cadetes da Força Aérea Brasileira (FAB), substituindo os atuais NEIVA T-25, fabricados na década de 1960. No Pavilhão 2 é possível conhecer algumas maquetes do T-Xc.

Com quase R$ 200 milhões, a Finep também apoiou, por meio da Mectron, o A-Darter, míssil ar-ar de curto alcance desenvolvido em parceria entre o Brasil e a África do Sul. A inovação possui múltiplos sensores de infravermelho que realizam imageamento térmico do cenário operacional com grande capacidade de detecção e rastreio de alvos, além de grande agilidade e capacidade de manobras, proporcionadas por seu desvio de jato do motor-foguete. O seu protótipo pode ser visto no estande da Odebrecht, também no Pavilhão 2.

Um dos destaques nos estandes da Embraer na LAAD é o satélite geoestacionário de defesa e comunicações estratégicas (SGDC). O projeto tem financiamento de R$ 240 milhões da Finep e é fruto de uma parceria entre Telebras e Visiona – joint venture entre Telebras e Embraer. O SGDC vai garantir a segurança das comunicações na área do pré-sal, além de ampliar o acesso à banda larga nas regiões remotas do País. A relação da Finep com a Embraer, hoje a 3ª maior fabricante de aeronaves comerciais do mundo, não vem de hoje. A agência desembolsou quase R$ 100 milhões que ajudaram no desenvolvimento dos Legacys 450 e 500, jatos executivos de médio-porte. A parte de P&D da empresa também já obteve recursos da Finep, que financiou, com cerca de R$ 300 milhões, projetos de pesquisa em áreas como aeroelasticidade, formação de gelo em asas e gestão de ciclo de vida da aeronave.

Sobre o evento
A LAAD Defence & Security é um evento referência no mercado de defesa e segurança pública no País, que reúne fabricantes e fornecedores de tecnologias, equipamentos e serviços para Marinha, Exército, Força Aérea, Forças Policiais, Forças Especiais, Law Enforcement, Homeland Security, gestores de segurança de grandes empresas, concessionárias de serviços e infraestrutura crítica.

Na terça-feira, 14, o presidente da Finep, Luis Fernandes, participou do painel: “O Papel das Agências de Fomento na Indústria de Defesa Brasileira”, durante o IV Seminário de Defesa, e destacou os desafios para avançar na indústria de defesa brasileira.

Durante os quatro dias da feira, uma equipe da Finep percorrerá a feira em busca de empresas inovadoras que precisem de investimento. São as chamadas demandas espontâneas. O estande da Finep está localizado no pavilhão 2 (V-58).

Serviço
Data:
de 14 a 17 de abril
Local: Riocentro – Rio de Janeiro
Endereço: Av. Salvador Alende, 6555
Mais informações: www.laadexpo.com.br

 

http://www.finep.gov.br/imprensa/noticia.asp?noticia=finep-se-destaca-com-apoio-a-projetos-expostos-na-laad

EMMOU7Finep se destaca com apoio a projetos expostos na LAAD
read more